O Homem Foi Mesmo a Lua? – Apollo 11 –

Muitos conspiracionistas defendem a teoria de que o homem nunca pisou na lua,  muitos chegam a dizer que foi a fraude do século, o que eu tenho a dizer sobre esses nossos amigos conspiracionistas é que, eles tão mais por fora do que arco de barril, existem dezenas de provas que podem constatar que o homem foi mesmo a lua.

Em 1969 uma missão tripulada conhecida com Missão Espacial Apollo 11, colocou pela primeira vez 3 seres humanos (Neil Armstrong, Buzz Aldrin e Michael Collins) na órbita da lua, essa missão cumpriu a meta proposta pelo então Presidente John F. Kennedy. Antes do homem pisar na lua, existiu todo um conflito antes entre os EUA e a antiga URSS que disputavam e ficou conhecida com Corrida Espacial.

A bordo do Foguete Saturno V,  foram lançados na Lua e Consigo trouxeram várias amostras de pedras lunáticas, que para que ninguém duvidassem, foi estudada por vários cientistas do mundo todo.

Além de outros fatores que provam a ida do homem a Lua, são os Retrorrefletores deixados lá por Neil Armstrong, que são usados para medir a distância da Lua a Terra.

Astronomia

O Sistema Solar – Os planetas jovianos

Os planetas jovianos são os planetas localizados depois do planeta marte, o último planeta telúrico. São os planetas gasosos, que tem somente o pequeno núcleo composto por rocha. São compostos formados principalmente por Hidrogênio, Hélio e Metano. Os planetas Jovianos são os maiores planetas do Sistema Solar. São os planetas mais afastados do Sol.

O primeiro planeta joviano é:

Júpiter, o gigante: Júpiter é o maior planeta do Sistema Solar. É cerca de mil vezes maior que a Terra. Tão grande, que poderíamos colocar todos os outros planetas dentro dele. Por causa de sua enorme gravidade,  Júpiter é o principal responsável para que os asteroides não se juntem e formem novos planetas. Rotaciona em enorme velocidade, produzindo ventos de centenas de km/h.

Júpiter é um caos. Cada raio produzido nas tempestades desse enorme planeta é aproximadamente 10.000 vezes mais forte que um raio de uma tempestade  na Terra. O Gigante é furioso….

A grande mancha vermelha:

A grande mancha vermelha é a maior e mais intensa tempestade do sistema solar. É cerca de 3x o tamanho da Terra e propaga-se a pelo menos 300 anos.

A radiação perto do Planeta é muito elevada, pois seu poderoso campo magnético atrai essa radiação do espaço.

Júpiter possui 67 luas, sendo que as 4 maiores são: Io, Calisto, Europa e Ganimedes.

Curiosidade Sobre a Lua Europa: Localizada a 650 milhões de km da Terra e cerca de 800 milhões de km do Som, a Lua Europa é a esperança para alguns astrônomos de que pode existir aguá líquida e/ou vida no nosso sistema solar. Devido a distância do Sol, é bem provável que Europa seja uma lua completamente congelada.  A não ser que a gravidade de Júpiter esteja causando atrito em seu interior, impedindo Europa de congelar, possibilitando que debaixo de uma camada de gelo possa existir água líquida e vida.

Saturno, o joviano mais leve: Saturno é o segundo maior planeta do sistema solar. Sua beleza impressiona a qualquer observador pelo seus anéis, que foram formados formados pela destruição de uma lua pela sua força gravitacional. Seus anéis poderiam ir da Terra até a Lua, mas só tem algumas centenas de metros de profundidade. Saturno é um planeta com densidade muito baixa, tanto que se colocássemos ele em um oceano gigante, o planeta flutuaria.

Ficheiro:Saturn during Equinox.jpg

Saturno envia ao espaço cerca de 2 vezes mais energia do que recebe do Sol. Isto significa que o planeta está gerando energia no seu interior. Acredita-se que um dos mecanismos que geram essa energia em Saturno é um fenômeno astronômico em que o planeta se contrai lentamente e ao mesmo tempo libera energia.

earth-moon-photo-saturn-2013-annotated

Planeta Terra visto de Saturno. Cassini, 2013

 

 Urano, o dorminhoco: Urano é o 7° planeta do Sistema Solar e o primeiro planeta a ser descoberto por telescópio. Urano possui anéis igual a Saturno, mais de uma forma bem diferente. O eixo de inclinação de Urano é de 97,86° com o plano de sua órbita, ou seja, o planeta rotaciona deitado. O planeta possui cerca de 20 satélites e demora cerca de 84 anos terrestres para completar sua órbita ao redor do Sol.

Urano possui um núcleo rochoso, rodeado por uma atmosfera de hidrogênio espessa e densa, na qual existem nuvens de cristais de gelo, metano e amônia em suspensão, que lhe conferem a cor verde-azulada. Possui um conjunto de anéis finos e escuros, provavelmente constituídos por fragmentos de rocha.

Netuno, o último dos planetas gigantes: Netuno é o quarto maior planeta do Sistema Solar e o terceiro maior em massa. Netuno foi o primeiro planeta encontrado por uma previsão Matemática, em vez de uma observação empírica. Inesperadas mudanças na órbita de Urano levaram os astrônomos a deduzir que sua órbita estava sujeita a perturbação gravitacional por um planeta desconhecido. Subsequentemente, Neptuno foi encontrado, a um grau da posição prevista.

Ficheiro:Neptune.jpg

Netuno tem uma tempestade do tamanho da Terra, alimentado por ventos selvagens de 1.500 km/h. O Curioso é que ninguém sabe o que que causa esses enormes ventos.

1° DESAFIO CURIOSIDADE EXTRATERRESTRE

Com o intuito de incentivar a observação astronômica, a página Curiosidade Extraterrestre, está promovendo o 1° DESAFIO CURIOSIDADE EXTRATERRESTRE.

O desafio pode ser feito por qualquer pessoa e consiste basicamente em: O participante irá passar 30 minutos ou mais olhando para o céu a partir da meia noite [(09-10 de novembro) (horário de Brasília)], sem o auxilio de nenhum equipamento astronômico ou eletrônico (celulares, tablet’s, notebooks,…) e irá descrever tudo aquilo que viu em forma de um questionário. Com esses resultados, a equipe irá montar no site: https://curiosidadeextraterrestre.wordpress.com/ uma espécie de levantamento sobre como é a visibilidade do céu em cada cidade que participou, entre outras…..

As perguntas do questionário são essas:

1 – Seu nome: (Somente primeiro e segundo nome ou último)
______________________________________________

2 – Estado, Cidade e Bairro:
______________________________________________

3 – Como estava o céu em sua cidade no dia?

( ) Céu limpo
( ) Nublado
( ) Poucas nuvens
( ) Outro: ____________

4 – Qual a coloração aparente do céu em sua cidade?
____________________________________________

5 – Você conseguiu visualizar muitas estrelas?
( ) Sim
( ) Não
( ) Outro: ____________

6 – Conseguiu visualizar algum meteoro?
( ) Sim
( ) Não

6.1 – Se sim, quantos?
____________________________________________

7 – Conseguiu visualizar algum satélite?
( ) Sim
( ) Não

8 – A luz “emitida” pela Lua atrapalhou a observação?
( ) Sim
( ) Não
( ) Nem vi a Lua
( ) Outro: _________________

9 – Conseguiu distinguir alguma constelação?
( ) Sim
( ) Não

9.1 – Se sim, quantas e quais?
__________________________________________

10 – Quanto tempo você ficou olhando para o céu?
( ) 30 minutos – mínimo
( ) 30-60 minutos
( ) Mais de 1 hora

11 – Qual a frequência que você olha para o céu no mês?
( ) 0
( ) 1-5
( ) 5-10
( ) Mais de 10

12 – Como você analisa este desafio?
____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

As respostas podem ser enviadas diretamente para o email da página: curiosidadeextraterrestre@gmail.com, por inbox pela página ou pelos comentários dessa matéria.

PARTICIPEM!

Stellarium

Sem dúvida, o Stellarium é o Software mais usado entre os astrônomos experientes e amadores. O programa é um planetário de código aberto para computadores que permite que você explore o universo sem sair do seu computador.

 

 

O programa é bastante utilizado para ver o horário de eclipses, satélites e qual horário algumas constelações irão aparecer. É também muito utilizado para aqueles que possuem telescópios com montagem motorizada, pois o programa substitui o controle GoTo com a mesma funcionalidade dele. O programa permite que você ajuste as coordenadas para qualquer lugar do mundo, permitindo também que você possa ajustar a data e a hora de sua preferência. O programa é parcialmente traduzido para o Português, o que facilita a nossa vida aqui no Brasil.

O Stellarium é um software gratuito e é bastante recomendado parta quem está ingressando na astronomia agora, pois permite que o usuário veja todo o céu em tempo real. Baixe o programa clicando aqui.

 

 

 

 

O Sistema Solar – Planetas Telúricos

No último post da série, podemos aprender mais sobre o Sol, a estrela mais próxima do sistema solar. Agora é a vez de falarmos dos planetas telúricos.

Os planetas telúricos ou rochosos, são os planetas: Mercúrio, Vênus,  Terra e Marte, e estão localizados no Sistema Solar interior, pois ficam mais próximos do Sol e tem maior densidade do que os planetas gasosos. Essa formação tem a ver com a formação do Sistema Solar, em que os materiais mais densos tendem a se concentrar mais próximos do Sol e os mais leves mais distante.

Os planetas Telúricos

Mercúrio – O planeta mais próximo do Sol: Mercúrio é o menor e o mais interno planeta do Sistema Solar. Com sua órbita ao redor do Sol a cada aproximadamente 88 dias terrestres, e sua maior proximidade do Sol, ele é o segundo planeta mais quente do sistema solar, perdendo para Vênus. Sem atmosfera, a temperatura de Mercúrio é a que mais varia de todos os planeta, 430°C no periélio, na face iluminada, e -170°C durante a noite, face escura.                                                                                                                                    

Em relação à maioria dos outros planetas, a órbita de Mercúrio é uma elipse bem pronunciada. Assim, quando o planeta se aproxima do Sol, sua velocidade de translação é quase igual à rotação, produzindo um curioso efeito: visto de Mercúrio, o Sol pode nascer e se pôr duas vezes num único dia.

A cada 10 anos, Mercúrio passa em frente ao Sol para nós observadores da Terra. Isto é conhecido como transito de Mercúrio e o próximo que irá ocorrer será dia 9 de Maio de 2016, e será visível de todo o Brasil.

Vênus – O Planeta mais quente do Sistema Solar: Você já se deparou olhado para o céu e viu aquele ponto amarelado bem brilhante depois do pôr do Sol ou antes do amanhecer? Bem, aquele ponto é o planeta Vênus, o segundo planeta telúrico.

Vênus é o planeta similar a Terra: Tem praticamente o mesmo tamanho, a mesma massa e praticamente a mesma composição. Vênus poderia até abrigar vida, se não fosse o fato do planeta ser coberto por nuvens de ácido sulfúrico altamente reflexivas, que impedem que sua superfície seja vista do espaço na luz visível. Sua atmosfera é a mais densa de todos os planetas do Sistema Solar, constituída principalmente por dióxido de carbono.                                                                         

Acredita-se que no passado Vénus possuía oceanos como os da Terra, que se evaporaram quando a temperatura se elevou, restando uma paisagem desértica, seca e poeirenta, com muitas pedras em forma de placas. A água provavelmente se dissociou e, devido à inexistência de um campo magnético, o hidrogênio foi arrastado para o espaço interplanetário pelo vento solar. A pressão atmosférica na superfície do planeta é 92 vezes a da Terra.

Terra – Nosso Lar: A Terra é o terceiro planeta mais próximo do Sol. É o mais denso e o quinto maior do Sistema Solar, sendo o maior dos planetas telúricos. A Terra é o único corpo celeste onde é conhecido a existência de vida até agora.

Cerca de 70% do planeta é coberto por água em estado líquido, elemento essencial para a existência de formas de vida.  A Terra completa uma volta completa em torno do Sol em 365 dias e 6 horas, o equivalente a 1 ano em nosso calendário. A Terra também gira em torno de seu eixo, no período de 24 horas, equivalente a um dia. Sem essa rotação do Planeta, não existiria vida: O lado do planeta que ficasse voltado para o Sol viraria um deserto muito quente e o lado oposto ficaria muito escuro e frio.

Ao longo de um dia a Terra recebe cerca de 40 toneladas de material que vem dos do espaço:  desde pequenos asteroides até pó cósmico.  A idade do Planeta é de aproximadamente 4,5 bilhões de anos.

Marte – O Planeta Vermelho: Marte é o quarto planeta a contar do Sol e é o último dos quatro planetas telúricos. Marte está distante do Sol à 1,5 UA ( Unidade Astronômica – Distância entre a Terra ao Sol ). Marte é um planeta muito parecido com a Terra: Tem um dia aproximadamente igual o da Terra e tem o mesmo número de estações.

Estudos mostram que Marte foi um planeta quente e úmido, o que pode ter levado o planeta a ter desenvolvido vida em algum momento. Seu núcleo é frio, o que faz com que o planeta “não” tenha um campo magnético.                                                                                                                                        

Existe um projeto que visa levar um grupo de humanos ao planeta vermelho até 2030. A viagem só tem passagem para ida, e não há nenhuma garantia de que os novos habitantes do planeta vermelho irão chegar lá.

Você sabe como ocorre uma chuva de Meteoros?

Olhar, para o céu……………… Que coisa boa!
Acho que todos já passamos um tempo olhando para o céu tentando compreender o que há lá fora e admirando toda a beleza daqueles pontinho luminosos, chamados de estrelas, quando de repente, aparece do “nada” uma “estrela cadente” e some tão rápido quanto apareceu. Alguns até fazem pedidos, mas, o que são essas “estrelas cadentes”?
 
Meteoro cruzando o céu
As “estrelas cadentes” são na verdade Meteoros. Ocorre quando fragmentos de materiais sólidos como rochas, metais, etc ( chamados de meteoróides), que vagam pelo espaço em torno do Sol, penetram na alta atmosfera da Terra. O atrito com os gases da alta atmosfera da Terra fazem com que essas partículas alcancem altas temperaturas e literalmente incendeiem.
O tamanho desses fragmentos que dão origem aos meteoros quando entra na alta atmosfera da Terra varia desde alguns milímetros até alguns metros. Os maiores podem atingir a superfície ( No caso, quando atingem a superfície passam a ser chamados de meteoritos ).


Em certas épocas do ano, o número de meteoros aumenta em uma determinada área do céu. A este evento chamamos de chuva de meteoros, que se dá quando a Terra passa em uma determinada parte de sua órbita onde um cometa deixou rastros de matéria sólida. Quando a Terra passa por essa determinada região, ela “varre” uma porcentagem dessa matéria, o que faz com que o número de meteoros visíveis em uma noite aumente consideravelmente. 
 
Desenho ilustrativo de uma chuva de meteoros e sua relação
com a passagem de um cometa
Quando olhamos esse evento, temos a impressão de que todos os meteoros parecem vir de um mesmo ponto no céu. Na astronomia, chamamos isso de radiante. Toda chuva de meteoros tem um radiante determinado, que acaba dando um nome a chuva de meteoros. Por exemplo, as Geminídeas tem esse nome pois parecem vir da constelação de gêmeos, todo 13-14 de dezembro.
Principais chuvas de meteoros no ano:
  • Quadrantídeas – 04 de Janeiro – 95 meteoros por hora
  • Lirídeas – 22 de Abril – 15 meteoros por hora
  • Eta-Aquarídeas – 05 Maio – 30 meteoros por hora
  • Delta-Aquarídeas – 29 Julho – 20 meteoros por hora
  • Perseídeas – 13 Agosto – 95 meteoros por hora
  • Orionídeas – 22 Outubro – 20 meteoros por hora
  • Taurídeas – 03 – 13 Novembro -15 meteoros por hora
  • Leonídeas – 18 Novembro – 12 meteoros por hora
  • Geminídeas – 14 Dez – 100 meteoros por hora

Como observar um eclipse solar com segurança?

Eclipse parcial Solar dia 03 de novembro de 2013 terá uma maior
visibilidade no estado do Ceará.

                             
Em breve teremos o Eclipse parcial Solar. Será visível na parte norte e nordeste do Brasil, sendo o estado do Ceará o maior privilegiado. O Eclipse Solar é uma oportunidade é um evento bastante raro e não é bom perder. Até aí tudo bem, mas você sabe como fazer essa observação de uma forma segura?

NÃO USE ÓCULOS ESCUROS!
Os óculos diminuem a entrada de luz, mais no caso do Sol, não barra toda a luz e ainda permite que uma grande quantidade dela penetre seu olho, o que pode causar danos irreversíveis a sua visão.

NÃO USE FOLHAS DE RAIO X!
Elas não protegem seu olho quanto a entrada de luz, podendo causar danos a sua visão

DICAS PARA UMA OBSERVAÇÃO SEGURA:

Garota Australiana observado um eclipse solar
com uma máscara de soldador.

1) Existe um vidro que você pode comprar em lojas de ferragens que se chama vidro de soldador. Custa menos de R$ 20,00 e permite que você observe o Sol por um período de até 5 segundos seguidos, sem causar nenhum dano a sua visão. O Filtro tem que ser no mínimo o n° 14, ou um mais forte.

2) Essa aqui eu achei em um site e gostei:

“A forma mais segura de observar um eclipse solar parcial ou anular é por meio de projeção. Numa cartolina faça um orifício de cerca de 1 cm de diâmetro. Encoste essa cartolina furada num espelho plano. Ficando ao sol, faça a luz solar refletir num espelho e incidir numa parede à sombra. Lá se poderá ver a imagem do Sol durante o eclipse sem danificar o olho. “
Fonte: NerdsFera

Sol por projeção – 13/04/13 – IFCE campus Fortaleza
Créditos: Paulo Otavio

3) Para quem tem telescópios: Uma maneira segura de observar o evento é por projeção; Aponte o telescópio SEM o auxílio da buscadora para o Sol, logo em depois coloque a ocular que dê menor ampliação (Geralmente é uma de 20mm ou de 40mm). Logo depois projete e imagem em alguma superfície plana de coloração branca (Pode ser um livro, caderno, parede, etc…).

Créditos: Fernando de Pádua Lima

Ou então, compre um filtro solar que se encaixe na frente do telescópio, assim, você poderá olhar diretamente para o Sol com o olho na ocular.

COMPARTILHEM PARA QUE A MAIORIA QUE IRÁ PRESENCIAR ESSE ECLIPSE POSSA LER, JÁ QUE ALGUNS PODERÃO VER SEM A PROTEÇÃO ADEQUADA E ACABAREM COM A VISÃO PREJUDICADA!